Cores improváveis, novas harmonias e natureza no "Perdi o Fio à Meada"






 

A maioria das peças são feitas em croché e têm como principal fonte de inspiração a natureza. No projeto Perdi o Fio à Meada, Vera João Espinha usa a agulha como se fosse um lápis. Não há esboços. Quando a ideia surge, parte imediamente para a produção, até que o resultado final agrade.

A designer gráfica gosta de conjugar cores improváveis e procurar novas harmonias visuais de tons e formas. Não segue as tendências da moda, prefere perder mais tempo para ir ao encontro de uma peça intemporal.

O conceito do projeto baseia-se na produção manual de acessórios contemporâneos. A maioria dos modelos são feitos em croché, mas algumas coleções incluem diversos materiais e técnicas. O ponto de partida pode ser qualquer coisa: as cores de uma fotografia ou de uma pintura, uma viagem, os napperons da avó, uma conversa com outra pessoa ou os desenhos e construções da filha de 7 anos.

Vera João Espinha estudou Design Gráfico na Escola de Artes António Arroio e frequentou aulas de desenho e pintura na Sociedade Nacional de Belas Artes de Lisboa. Em 2005 ganhou uma menção honrosa num concurso nacional na área de joalharia contemporânea.

Sem comentários:

Publicar um comentário