Wek: Um simples fio transformado em arte




os tinha visto na montra da Scar.id Store e eles piscaram-me o olho (eu pisquei de volta, não sei se repararam). Felizmente, a loja estava fechada quando por lá passei. O encerramento é breve, para almoço, e até deixam contacto na porta, mas eu não podia entrar na loja. 

Ver tanta coisa gira do lado de fora convenceu-me que o melhor era fugir. Correr dali, sair rápido, virar costas, fazer de conta que não tinha lá ido, evitar saber dos horários, contornar qualquer vontade de lá passar a outra hora ou noutro dia, imaginar que nada daquilo existe, arrumar tudo no mais oculto dos ocultos lados da parte racional do meu cérebro - aquela que me diz, tantas vezes escusadamente, que não posso deixar-me levar por todas as minhas paixões. 

Se assim não fosse, e entrasse, dificilmente conseguia sair sem um monte de coisas lindas mas com os bolsos a voar de tão vazios e um sentimento de culpa pronto a transformar-me rapidamente em algo bem maior do que prazer da aquisição (ou aquisições - lá está, eram mesmo muitas coisas giras). 

Estava tudo muito bem até me cruzar hoje, sem querer, com os colares da Wek no Facebook. Despertou-se toda a vontade outra vez, ainda mais do que antes, porque não fui capaz de evitar espreitar o site da marca de joalharia contemporânea criada em junho de 2104 por Telma Oliveira e, lá chegada, deparei-me com uma diversidade e criatividade ainda maiores do que as que tinha visto do lado de lá da montra. Fiquei conquistada. Seria capaz de usar quase tudo, admiro todas as combinações e detalhes, é mesmo paixão. 

A Wek, wearable compliments, tem sede no Porto e explora materiais não convencionais. Reinventa outros e reconcilia a tradição com a inovação, misturando o trabalho manual com a produção industrial. O resultado é design exclusivo e edições limitadas.

A coleção atual junta um fio de atar habitualmente usado nas vinicultura com a modulação e a impressão a três dimensões. Interessante, não?

Os produtos estão à venda na Scar-id Store, na rua do Rosário, Porto, e na IvoMaia [designers], na rua Comendador Sá Couto, em Santa Maria da feira.






LOOK OF THE DAY: Classic or sporty?

Skinny jeans - Massimo Dutti
Blazer e camisola às riscas - D' Origem
Sapatilhas Mustang

About me...

Este é o novo texto que está no "about" me do blog. Ninguém lê o "about". Nem eu. Se não tivesse recebido um mail inspirador de uma leitora fantástica, a Elsa, não tinha relido o texto escrito em 2012 sobre mim. Decidi atualizar algumas coisas. Para que conste, fica também em forma de post. Esta sou eu. Tenho pena de não ter guardado o texto anterior. Talvez fosse interessante registar o que vai mudando ao longo dos anos. Em menos de três anos, para cá foi bastante o que se alterou. Too late... já alterei o texto e não guardei o anterior. Fica para a próxima. No hard feelings. Just enjoy the day and do it for yourself!


STYLE. DESIGN. FASHION. LIFE.

São estas quatro palavras que resumem o projeto Divine Shape. Nascido em setembro de 2011, este é um blog de moda, mas eu não sou uma uma fashion blogger. Esta é uma publicação independente que tem por objetivo divulgar moda e o design alternativos, colocando o enfoque no que é novo, inovador, arrojado, out of the box.

Dar resposta a um nicho de mercado no qual me revejo mas que não encontrava nos blogues de moda habituais foi o propósito original do lançamento da Divine Shape. Se um projeto destes me fazia falta, tinha de haver mais pessoas interessadas em saber o que se passava fora dos circuitos da alta costura e das repetitivas lojas dos shoppings. Não queria apenas falar do que está super fashion em determinado momento, porque sobre isso fala muita gente ao mesmo tempo. A ambição é ir mais além (e sim, como o António Variações também quase só estou bem onde não estou).

A intenção é mostrar moda a quem não é doido por moda, a quem nem sequer tem grandes preocupações com o que veste ou nem tem dinheiro para fazer muitas compras, mas gosta de ver, conhecer e apreciar o que se vai fazendo de diferente, em Portugal e no mundo.

O que se pretende é divulgar coisas novas e atrevidas, que pouca gente conhece e sobre as quais os blogs, sites e revistas de moda em papel dificilmente falam. Não quero ser a Vogue (nada contra). Quero ser eu. Alternativa, apreciadora de coisas bonitas, de design e de moda, viciada em roupa, sapatos, relógios, carteiras e em composições de looks (no papel e na cabeça).

Divine Shape é nome de blogue e de página do Facebook, mas é também uma espécie de alter-ego (daí a referência no feminino).

Jornalista, blogger, caçadora de tendências, consultora de imagem, fashion adviser e personal shopper. Mãe, quase 38 anos. Lutadora, persistente, resiliente, insistente, insatisfeita, ainda e sempre à procura do um caminho mas cada vez mais perto de lá chegar. E de aproveitar o que vai aparecendo pelo caminho. Esta sou eu.

Um ano depois de ter sido criada, a Divine Shape já era mais do que um blog de moda. Inclui também artigos de trend hunting, colaborações com o Trend Alert, composições de looks e crónicas de reflexão sobre o mundo e a vida em geral. 

Trabalhar e saborear as palavras é um dos meus maiores prazeres e - não consigo evitá-lo - o meu quotidiano transforma-se, muitas vezes, em textos mentais que tenho de passar à escrita.

Este é, também, mais do que um blog feito ao acaso por alguém que aprecia coisas bem feitas mas não percebe nada de design: no fim de 2012 foi personalizado pelo Quarto de Mudança e ficou lindo.


Divine Shape
01 de Julho de 2015
(texto adaptado a partir do original, escrito a 20 de Novembro de 2012)

LOOK OF THE DAY: Summer


Vestido Titis
Sandálias Igor, compradas na loja Goodvibes (Porto)